Exposição lembra os 50 anos da morte de ativista política em Santos

A morte da jornalista e ativista política Patrícia Galvão, a Pagu, completa 50 anos na última quarta-feira (12). Para celebrar a data, a Universidade Santa Cecília (Unisanta), em Santos, no litoral do estado de São Paulo, realiza uma exposição sobre a vida de Pagu.

Um acervo com cerca de 3 mil documentos fazem parte da exposição. Uma máquina de escrever, utilizada por Pagu entre os anos de 1950 e 1960, é um dos destaques da exposição. A presidente da Unisanta pesquisa a história da jornalista há mais de 20 anos. “A professora Lúcia Teixeira, desde 1987, pesquisa a Patrícia Galvão. Ao longo desses mais de 24 anos ela reuniu todos esses documentos que estão na posição”, diz a curadora da mostra Cláudia Busto.





Entre as curiosidades está um documento de identidade e um certificado de vacinação da Pagu. “É um documento muito curioso. Nós tínhamos ele de forma digitalizada, e hoje ele está aqui compondo o nosso acervo. Nós temos o certificado de vacinação da última viagem dela para a Europa”, explica Cláudia. Uma peça de teatro, que nunca foi encenada, também faz parte da mostra.

A universidade mantém, durante todo o ano, um espaço permanente sobre a vida e a obra da jornalista, o Centro de Estudos Pagu. A sala reúne vários livros de autores diferentes que retratam a vida de Patrícia Galvão e alguns textos que foram escritos pela jornalista.

A exposição acontece de segunda a sexta-feira, das 8h às 21h, e segue até o próximo dia 20. A Unisanta fica na Rua Lobo Viana, 67, no Boqueirão.

Fonte: G1